Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Mediador Pollack diz que Argentina 'cairá iminentemente em default'

O mediador do caso da dívida argentina disse em comunicado que não foi alcançado um acordo nesta quarta-feira e que a "República da Argentina cairá iminentemente em default".

REUTERS

30 de julho de 2014 | 19h58

No comunicado, o mediador Daniel Pollack, apontado por uma corte norte-americana, disse que o default "não é uma mera condição 'técnica', mas um evento real e doloroso que prejudica pessoas reais", inclusive cidadãos argentinos, detentores dos bônus reestruturados e os investidores holdouts.

A Argentina tem lutado com os detentores de bônus que não aceitaram a reestruturação da dívida, os chamados holdouts, que demandam o pagamento total dos títulos, após o país entrar em default em 2002.

"O cidadão argentino comum será a vítima real e última", disse ele em um comunicado.

"Todas as consequências do default não são previsíveis, mas certamente não são positivas."

(Por Daniel Bases)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROARGENTINAMEDIADOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.