Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Mediadores da OMC divulgam textos revisados para Doha

Mediadores da Organização Mundial deComércio (OMC) divulgaram na sexta-feira textos revisados paraas negociações agrícolas e de bens industriais, com o objetivode promover um novo acordo para impulsionar a Rodada de Dohaaté o final deste ano. Como esperado, os documentos não alteraram as propostasexistentes sobre tarifas e redução de subsídios, o que ficapara uma reunião de ministros do Comércio proposta para abril. Mas os novos documentos incorporaram os resultados deintensivas negociações em uma série de questões técnicas nosúltimos seis meses das negociações de Doha. "É prematuro falar alguma coisa agora. Mas é importante que(os textos) saíram e vamos ver se os textos dão a base paracontinuar as negociações", disse o negociador brasileiro,Roberto Azevedo. Ministros do Comércio dizem que a preocupação com aeconomia mundial criada pela crise de crédito acarretou em umanova determinação dos participantes para completar a Rodada deDoha, lançada em novembro de 2001 para impulsionar a economiamundial. "A expansão contínua do comércio multilateral é uma apólicede seguro contra a instabilidades do mercado e até mesmo contraas turbulências financeiras", disse o diretor-geral da OMC,Pascal Lamy. "No momento em que as nuvens estão escurecendo sobre aeconomia mundial, a Rodada de Doha é a única iniciativa globalque pode reconstruir a confiança do comércio mundial, dostrabalhadores e dos consumidores", disse ele na quarta-feira. Mas as preocupações com a ecomomia podem alimentar ossentimentos protecionistas, fazendo com que fique mais difícilpara os políticos vender um acordo comercial em seus países. APREENSÃO "Eu realmente tenho a sensação de que a apreensão com umacrise econômica está deixando as pessoas mais cautelosas com aassinatura de um acordo comercial, em vez de maisentusiasmadas", disse Carin Smaller, diretor do Projeto deInformação Comercial do Instituto para Agricultura e PolíticaComercial. Os textos foram divulgados pelo embaixador da Nova Zelândiana OMC, Crawford Falconer, que preside as negociaçõesagrícolas, e pelo embaixador do Canadá, Don Stephenson, quecuida das negociações sobre bens industriais. Eles preparam o caminho para a reunião ministerial, poisresumem o acordo em uma série de questões técnicas, e deixampara os ministros escolher os tópicos políticos maisimportantes. Os ministros querem concluir a rodada neste ano, antes de onovo presidente dos Estados Unidos assumir e se concentrar emajustar sua administração. Dada a quantidade de trabalho técnico detalhado necessáriopara finalizar um acordo, os ministros têm que se reunir nomáximo em abril, dizem autoridades. Países em desenvolvimento querem que os EUA reduzam seussubsídios agrícolas que distorcem o comércio e que outrosblocos ricos, como a União Européia, abram os mercadosagrícolas através de reduções tarifárias. Em troca, os países ricos querem que os em desenvolvimentoabram seus mercados, reduzindo as tarifas industriais eliberalizando os serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.