Medição individual de água em condomínios

Uma das maiores preocupações de administradores de condomínios e síndicos é com o desperdício de água. Não somente pelo alto custo nas contas mensais - a conta de água representa o maior gasto - como também pela necessidade de se economizar. Na grande maioria dos edifícios existentes no Estado de São Paulo, a medição do consumo de água dos apartamentos é feita coletivamente. As administradoras e os síndicos não têm como saber qual apartamento gasta mais ou gasta menos. Existem casos em que em uma unidade mora uma família de sete pessoas e, em outra, apenas um casal. Atualmente, muitas pessoas estão optando por obter um ganho extra com serviços feitos em casa. Há quem trabalhe com congelados, lave roupa para terceiros, cuide de crianças, entre outras atividades que consomem água. Equipamento possibilita economia de águaO Liceo de Artes e Ofícios de São Paulo apresentou, na feira da construção civil Fehab/Anamaco, um equipamento de medição individual para apartamentos. "Ele já foi desenvolvido há 3 anos", diz o assessor de marketing do Liceo, Helder Rapussi. Apesar de já ter sido criado há tanto tempo, o equipamento está sendo adquirido por construtoras para novos projetos. Em prédios já construídos, o Liceo só tem vendido para os mais populares. "Tem um condomínio com 700 unidades, em Itaquera, na zona leste, que adquiriu o produto e conseguiu obter uma considerável economia na conta de água", diz. Para instalar o medidor em prédios já construídos, existe a necessidade de colocar novas saídas de água e isso altera o projeto original. Em edifícios de médio e alto padrão, segundo Rapussi, isso causa discordância entre os proprietários. O custo para a instalação desse equipamento nos condomínios é de R$ 150 a R$ 200, por apartamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.