Medidas beneficiarão 75% dos aplicadores, diz fonte

As medidas de flexibilização do "corralito" que o governo anunciará logo mais à noite beneficiarão 75% das pessoas que possuem dinheiro depositado no sistema financeiro argentino. Este será o principal ponto do pronunciamento que o presidente Eduardo Duhalde fará à nação em cadeia nacional de rádio e televisão. Uma fonte da Casa Rosada adiantou à Agência Estado os temas centrais que farão parte do primeiro pronunciamento oficial de Duhalde, desde que assumiu a Presidência. O presidente voltará a insistir em que o "corralito" e uma "bomba de tempo muito perigosa e que é preciso muito cuidado para desarmá-la". Com esta justificativa, Duhalde dirá que para chegar à liberação de 100% dos depósitos levará tempo, mas que a partir de amanhã 75% dos depositantes serão beneficiados com as novas medidas. Duhalde questionará a atuação do Banco Central e lembrará que "neste governo não há mais aliança com o setor financeiro". Também dirá que Mario Blejer ocupará a presidência da entidade "temporariamente até que se encontre o perfil do novo presidente do BC". Duhalde anunciará a distribuição de 200 pesos mensais às famílias mais pobres, cujos chefes estão desempregados. Os recursos serão entregues através de cartão bancário "para evitar intermediações, desvios e corrupção". Em localidades sem bancos, a distribuição será feita por ONGs e pela Igreja. Por fim, o presidente marcará a diferença com Fernando De la Rúa dizendo que ele "sabe governar e quando toma uma decisão sabe que rumo tomar e o segue". Duhalde classificará as últimas declarações de Menem de "muito equivocadas que causam grande dano ao país" e que "ele não deve falar mais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.