Medidas para acelerar o lançamento de genéricos

Governo e fabricantes de medicamentos genéricos, reunidos em recém-criada associação, aprovaram ontem, em São Paulo, medidas para acelerar o lançamento desses remédios, que são, em média 40% mais baratos que os de marca. Em abril, haverá um encontro para treinar os profissionais da indústria nos trâmites necessários para obter o registro do produto. Em um ano, o número de laboratórios que solicitaram registro de genéricos passou de 18 para 57. A Anvisa já concedeu registro para 218 genéricos de 95 fármacos. Outros 330 devem chegar ao mercado em breve. "O mercado passou a atrair mais e maiores empresas", diz Vera Valente, gerente-geral dessa área na Agência Nacional de Vigilãncia Sanitária (Anvisa). A idéia é repassar a experiência que permitiu reduzir o tempo de obtenção de um registro na Anvisa de 120 dias para 30; e o prazo entre registro e fabricação de 90 para 30 dias. A meta, segundo Carlos Sanchez, presidente da Associação Pró-Genérico, é que, em dois anos, os genéricos representem 30% do mercado. "Cerca de 86% das drogas vendidas no País poderiam ter versão genérica."Também foi planejada uma campanha de divulgação para convencer os médicos a receitarem genéricos e será lançada uma revista sobre o produto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.