Medidas para câmbio deveriam ter vindo antes, diz Forex

O presidente do Forex Brasileiro - que reúne executivos da área de câmbio - Carlos Eduardo Sobral, entende que as medidas adotadas hoje pelo Banco Central para restringir o dinheiro em circulação na economia e evitar a especulação cambial deveriam ter sido tomadas antes. "Para que deixar o dólar chegar a R$ 4 e produzir turbulência econômica e política para só então utilizar esse instrumental básico?", questiona. Sobral diz que o mercado está "seco" de dólar e qualquer movimento produz "grandes oscilações". Ele afirma que o Banco Central está tendo dificuldades para gerir a questão cambial.A dívida de US$ 3,7 bilhões que vence no dia 17 está sendo "rolada" com prazos curtos (de 15 dias). Dessa dívida, US$ 592 milhões foram refinanciados ontem e apenas US$ 183,6 milhões hoje. Marcelo Afonso, gerente do BNL Asset Management, diz que as grandes instituições passaram o final da tarde de hoje digerindo as medidas e definindo a estratégia a ser adotada nos próximos dias. O Banco Central estabeleceu até a próxima quarta-feira (dia 16) para que as instituições se enquadrem às novas regras de exposição cambial.Afonso considerou "forte" a necessidade de redução de 60% para 30% do patrimônio líquido dos bancos o limite máximo de exposição cambial líquida das instituições financeiras. Se a maioria das instituições estiver operando no limite superior (de 60%), as cotações do dólar devem voltar a cair na próxima segunda-feira, avalia Afonso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.