Medo de estagflação e petróleo derrubam mercados asiáticos

Os preços do petróleo subiram nestasegunda-feira devido às tensões no Oriente Médio, chegandoperto do recorde de 142,99 dólares o barril de sexta-feira epesando nas principais bolsas asiáticas, que fecharam o piorsemestre dos últimos 16 anos. O rali de altas do petróleo fez da estagflação --inflaçãocombinada com desaquecimento econômico-- a maior preocupaçãopara investidores e reduziu as expectativas sobre o mercado deações para o segundo semestre. Às 7h51 (horário de de Brasília) o índice MSCI da ÁsiaPacífico exceto Japão tinha queda de 0,17 por cento, para 430pontos, próximo ao fim dos negócios. O índice que acompanha o desempenho das bolsas nocontinente tinha alta de 0,19 por cento, para 430 pontos. Eleacumula queda de aproximadamente 14 por cento no ano, a maiorqueda semestral desde 1992, quando o Japão estava em recessão. Com o dólar tendo apenas uma pequena valorização nosúltimos três meses, os mercados de energia têm acompanhado aguerra verbal entre Israel e Irã, o quarto maior exportadormundial de petróleo. Os medos sobre a redução do fornecimento de petróleo já sedestacou quando a Líbia afirmou na semana passada que estavaestudando a possibilidade de reduzir a produção em resposta àsameaças dos Estados Unidos de processar os países da OPEP. "O petróleo faz o mercado muito tenso e sensível à notíciasque seguem rumores e preocupações sobre problemas futuros defornecimento", afirmou Mark Pervan, analista de commodities noAustralian & New Zealand Bank, em Melbourne. O índice Nikkei da bolsa de Tóquio, que já foi visto comouma alternativa relativamente segura em meio aos crescimentosdas pressões globais, cedeu 0,46 por cento, para 13.481 pontos,derrubado em junho pela crescente inflação, a maior em umadécada. Trata-se o maior declínio semestral do Nikkei desde 1995,que neste ano já perdeu 12 por cento. Na contramão, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong,avançou 0,27 por cento, para 22.102 pontos, com alta em açõesde empresas de base. Na Coréia do Sul a bolsa perdeu 0,57 por cento, para 1.674pontos. O principal índice australiano fechou em queda de 0,41 porcento, a 5.215 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.