Medo de novas baixas contábeis provoca queda em ações do UBS

As ações do UBS caíam novamente nestasexta-feira, diante do receio de investidores de que o bancosuíço registre mais perdas relacionadas ao mercado imobiliáriode alto risco dos Estados Unidos, no chamado segmentosubprime. Analistas do Citigroup disseram em relatório que o UBS podeprecisar registrar outros 18 bilhões de dólares em baixascontábeis em 2008. O UBS, maior gestor global de fortunas, já teve baixascontábeis de 18 bilhões de dólares no ano passado pelaexposição a hipotecas nos EUA e ativos relacionados, e quer queseus acionistas aprovem um aumento emergencial de capital nobanco no fim deste mês. Às 9h21 (horário de Brasília), as ações do banco caíam 6,46por cento, a 35,04 francos, depois de terem recuado 8 por centona quinta-feira, quando o banco revelou que ainda tinha 80bilhões de dólares expostos a financiamentos imobiliários dealto risco e outros tipos de empréstimos. As ações do UBS encontram-se agora em patamares inferioresaos de meados de 2003. Operadores especulavam que as açõespoderiam cair para até 25 francos. Uma porta-voz do UBS afirmou que as "exposições (do banco)estão todas reveladas", mas preferiu não comentar asespeculações de possíveis baixas contábeis futuras. Importantes corretoras reduziram o preço-alvo para as açõesdo UBS depois da divulgação dos resultados do banco em 2007, naquinta-feira. As ações do UBS acumulam baixa de mais de 29 por cento em2008, depois de terem registrado desvalorização nesse patamardurante todo o ano passado. (Reportagem de Andrew Hurst e Thomas Atkins)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.