Medo de perder emprego cresce, mas permanece baixo

O medo do brasileiro de perder o emprego aumentou em dezembro, segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada hoje. O Índice de Medo do Desemprego, medido trimestralmente, ficou em 81,6 pontos em dezembro, um crescimento de 3,7% na comparação com setembro deste ano, quando o indicador ficou em 78,7 pontos. Em relação a dezembro do ano passado, o medo do desemprego cresceu 2,9%. O índice é de base 100 e quanto mais alto, maior o medo das pessoas de perderem o emprego.

LUCI RIBEIRO, Agencia Estado

13 de dezembro de 2011 | 11h47

Apesar do aumento, a CNI avalia que o "medo do desemprego permanece baixo", já que o "índice mantém-se muito próximo de seu piso histórico, observado em setembro". O economista da CNI Marcelo Azevedo explica que, como o índice em setembro estava em um patamar muito baixo, a expectativa era de que voltaria a crescer. Ele destaca, porém, que se o cenário econômico mundial adverso permanecer, a tendência é de que o medo do desemprego continue a aumentar nos próximos meses. "Na próxima pesquisa, a ser divulgada em março, nossa expectativa é de que o índice cresça novamente", avalia.

Das mais de 2 mil entrevistas realizadas, 19,2% afirmaram em dezembro estar com muito medo do desemprego, contra 12,8% em setembro. O porcentual de pessoas que afirmaram estar com um pouco de medo do desemprego caiu de 30,2% em setembro para 23,1% em dezembro. Já aqueles que estão sem medo do desemprego passaram de 57,0% dos entrevistados em setembro para 57,7%.

O Índice de Medo do Desemprego foi elaborado com base em pesquisa de opinião pública realizada pelo Ibope. Foram ouvidas 2.002 pessoas em 141 municípios brasileiros entre 2 e 5 de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
CNImedodesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.