Medo de recessão nos EUA afeta Cingapura e Malásia

Os dois países admitem que a suas economias crescerão a um ritmo menor este ano

Efe,

18 de janeiro de 2008 | 04h48

O medo de uma recessão na economia dos Estados Unidos se estende pelo Sudeste Asiático, onde países como Cingapura e Malásia admitiram nesta sexta-feira, 18, que prevêem que suas economias crescerão a um ritmo menor este ano. O governo cingapuriano informou que o crescimento da economia em 2008 pode ficar em 4,5%, depois dos 7,5% registrados em 2007. Os Estados Unidos são o segundo maior mercado externo de Cingapura, depois da Europa. A economia de Cingapura, o mais próspero Estado do Sudeste Asiático, depende em grande medida do comércio exterior. A exportação de produtos manufaturados representa cerca de 75% de seu Produto Interno Bruto (PIB). Segundo os dados oficiais, no ano passado as exportações aos Estados Unidos de produtos manufaturados em Cingapura cresceram 2,7%, bem menos que a alta de 14% registrada em 2006. "Cingapura diversificou seu mercado e reduziu a sua dependência dos Estados Unidos, exportando mais ao mercado asiático. Mas a desaceleração da economia americana deve causar um impacto negativo maior em nossas exportações, já que boa parte da demanda vem do mercado americano", disse o departamento para a promoção da exportação, num comunicado. Na vizinha Malásia, o governo previu que o crescimento econômico, que em 2007 foi de 6,1%, este ano será de 5,4%. A taxa pode ficar em 4% se a economia dos EUA entrar em uma recessão. "Nossa previsão para este ano se baseia na suposição de que os EUA serão capazes de evitar a recessão econômica", declarou Mohammed Arif, diretor do Instituto Malaio de Pesquisa Econômica, órgão estatal que supervisiona o desempenho da economia nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.