Megalinha de transmissão deve ser leiloada em setembro

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, disse hoje que o governo pretende realizar, entre setembro e outubro deste ano, o leilão da linha de transmissão que transportará a energia das usinas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira (Rondônia), até Araraquara (SP). Ao todo, a linha terá quase 2,5 mil quilômetros.Tolmasquim disse que a intenção do governo é dividir a linha em lotes menores, que serão todos licitados no mesmo dia. Assim, diferentes investidores construirão e operarão "pedaços" distintos da linha. "Dividindo em trechos, podemos ter mais concorrentes no leilão. Se licitássemos um trecho único, só teríamos empresas de grande porte na disputa", disse Tolmasquim.As estimativas iniciais do governo indicam que, ao todo, a conexão elétrica do Complexo do Rio Madeira com o Sudeste do País exigirá investimentos de cerca de R$ 9 bilhões. Ou seja, a linha de transmissão que levará a energia das duas usinas de Rondônia até os principais centros de consumo do Brasil custará praticamente o mesmo que a usina de Jirau, leiloada ontem.Segundo Tolmasquim, as obras para a construção da linha deverão levar de 24 a 36 meses para serem concluídas. "A linha estará pronta antes de 2012, quando começa a entrar no sistema a energia de Santo Antônio", disse ele.Licença ambientalO presidente da EPE lembrou que, diferentemente das usinas hidrelétricas, os projetos de novas linhas de transmissão não precisam de licença ambiental prévia para serem oferecidos em leilão. Segundo Tolmasquim, caberá ao investidor que arrematar os lotes providenciar as licenças ambientais. Mas, para ele, o projeto da linha do Madeira não deverá enfrentar problemas para receber o aval dos órgãos ambientais. "A área dessa linha é quase toda usada para pastagens. Não tem muito impacto. A linha não cruzará áreas ambientalmente sensíveis", garantiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.