Meirelles: acordo põe Brasil entre economias importantes

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, comemorou o acordo anunciado entre a instituição brasileira e o banco central dos Estados Unidos (Federal Reserve, Fed), que cria linha de swap (troca) de moedas de US$ 30 bilhões. Meirelles informou, em entrevista após a decisão do Copom de manter a taxa Selic estável em 13,75% ao ano, que o acordo com o Fed tem um "significado muito importante", porque inclui formalmente o Brasil no grupo de países que possuem "economias sistematicamente importantes". O reforço de US$ 30 bilhões no caixa brasileiro vai, segundo Meirelles, aumentar os mecanismos de defesa da economia. Ele também disse que o entendimento com as autoridades norte-americanas representa "reconhecimento da qualidade da política econômica" conduzida pelo Brasil. Na entrevista, Meirelles explicou que os dólares serão recebidos pelo País e, em troca, serão dados reais a serem fornecidos pelo BC, sem dar detalhes sobre a operação e custos relacionados. Ele comentou também que o acordo faz parte da estratégia da autoridade monetária de amenizar os efeitos da turbulência externa na economia brasileira. Além disso, disse que o entendimento com o Fed faz parte de uma ação coordenada do banco central norte-americano com outros países.

FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

29 Outubro 2008 | 21h07

Mais conteúdo sobre:
crise crédito BC Fed

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.