Meirelles afirma que Brasil crescerá de forma sustentada

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou hoje que não há por que não acreditar que "o Brasil crescerá de forma sustentada". Ele afirmou que a massa salarial deve crescer mais de 4,5% este ano, o desemprego atingiu o menor nível da série histórica em julho e o crédito está chegando próximo ao nível pré-crise.

LUCINDA PINTO, Agencia Estado

21 de setembro de 2009 | 19h38

Segundo ele, a média diária de concessão de crédito no período de janeiro a setembro de 2008 foi de R$ 7,1 bilhões. Em junho deste ano, essa média atingiu R$ 7,3 bilhões; caiu para pouco mais de R$ 6 bilhões em julho; e nos primeiros 28 dias de agosto ficou entre R$ 6,9 bilhões e R$ 7 bilhões, "perto do nível pré-crise". Além disso, ele afirmou que os bancos pequenos e médios estão voltando a seus nichos. Esses dados, segundo ele, mostram que o Brasil tem uma retomada econômica rápida.

De acordo com Meirelles, em seus contatos com investidores estrangeiros, fica claro que o Brasil é visto como modelo. O País ganhou fatia de mercado no fluxo de capital externo e há informações de que há projetos de investimentos sendo desengavetados.

Meirelles observou, no entanto, que há desafios pela frente. Ele citou especificamente a ampliação dos investimentos em infraestrutura, investimentos em capital humano, o que pode ser considerado ainda um gargalo na economia com a falta de mão de obra especializada -, como foi constatado no início de 2008, quando a economia crescia em ritmo acelerado -, e há o aumento da eficiência, para gerar facilidades de se fazer negócios no Brasil. O presidente do BC deu as declarações em evento da Sobeet, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
créditocriseHenrique Meirelles

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.