Meirelles afirma que cotação do dólar é livre e assim continuará

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, reiterou hoje, durante entrevista coletiva após palestra na Câmara Americana de Comércio, que o BC não pretende adotar nenhuma medida para alterar a cotação do dólar. "O câmbio no Brasil é de livre flutuação e vai continuar assim", disse Meirelles.Questionado sobre as declarações do ministro Luiz Fernanda Furlan, que considera que o câmbio atual é desfavorável às exportações, Meirelles observou que "os resultados da balança comercial continuam muito bons". Ele admitiu, porém, que eventuais medidas para aperfeiçoamento de mecanismos de política econômica estão sempre sendo analisados.Sem comentários sobre jurosMeirelles não quis fazer nenhum comentário sobre a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que reavaliara a Selic, a taxa básica de juros da economia, na próxima semana. "Não costumamos fazer comentários sobre atuação futura do Copom". Hoje a Selic está em 17,75% e a maioria dos analistas aposta em alta de 0,5 ponto porcentual.Ele também não comentou o possível impacto dos números de inflação divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sobre a taxa de juros. De acordo com a política monetária, a taxa de juro referencial é definida com o objetivo de controlar a inflação.Sobre a questão do impacto dos preços administrados, sobre os índices gerais de inflação, Meirelles ressaltou que "tudo isso está nas avaliações do Banco Central".Ele observou que a meta do BC para 2005 é de que a inflação medida pelo IPCA ficará em 5,3% com base no cenário existente em dezembro. Este patamar está ligeiramente abaixo das previsões do mercado financeiro divulgadas semanalmente pela pesquisa Focus, realizada pelo BC, que projeta variação de 5,6% e acima da meta a ser perseguida pelo BC, de 5,1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.