Meirelles afirma que PIB mostra que BC tomou decisões certas

Para o BC, crescimento de 5,4% é "a melhor prova de que o Brasil está colhendo os dividendos da estabilidade"

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

12 de março de 2008 | 15h46

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007, de 5,4%, mostra que as decisões do Banco Central foram acertadas. A avaliação consta de nota à imprensa assinada pelo presidente do BC, Henrique Meirelles, e divulgada nesta quarta-feira, 12, pela assessoria de imprensa da instituição. "Os resultados da economia em 2007, crescimento robusto e inflação consistente com a trajetória das metas, mostram que a política monetária implementada pelo Banco Central foi bem sucedida", destaca a nota.No texto, Meirelles afirma que o desempenho da economia no ano passado revela "o caráter sustentado do atual ciclo de crescimento". Essa situação, explica, é gerada pela "proeminência do investimento produtivo e forte disseminação pelos diversos setores de atividade e regiões do País".Para o BC, o crescimento do PIB de 5,4% é "a melhor prova de que o Brasil está colhendo os dividendos da estabilidade". O número divulgado de manhã pelo IBGE "deixa claro que o caminho para o crescimento é a estabilidade econômica e de preços", diz o texto. "É essa estabilidade que cria condições para o aumento do investimento, ampliando a capacidade de crescimento da economia e gerando aumento do emprego e da renda", cita Meirelles na nota. Diante dos números positivos, ele afirma que "o BC continua integral e inequivocamente comprometido com sua principal missão, zelar pela estabilidade do poder de compra da moeda". Essa é, para o BC, "a maior contribuição que a política monetária pode oferecer para assegurar o crescimento econômico sustentado com inclusão social".Sobre as componentes do PIB, Meirelles destaca positivamente o consumo das famílias, a formação bruta de capital fixo e o "crescimento disseminado" da oferta. "Com desempenho positivo de todos os subsetores de atividade no comparativo anual", cita.

Tudo o que sabemos sobre:
Crescimento da economiaPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.