Meirelles afirma que transição marca possível acordo com FMI

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse hoje que "vamos caminhar para um período em que acordos com o Fundo Monetário (FMI) farão parte da história". Se for efetivado, o acordo com o FMI viria em um contexto de transição, avaliou. "Seria uma transição de um período de vulnerabilidade externa para um período de estabilidade, de normalidade", descreveu. Questionado se este poderia ser o último acordo com o Fundo, Meirelles disse que "não se pode fazer este tipo de afirmativa". Ele avaliou hoje que as reservas brasileiras estão em um nível "perfeitamente confortável", lembrando que elas totalizaram em agosto US$ 47,8 bilhões pelo conceito de liquidez internacional. "Além disso, como é sabido, o Brasil já iniciou as conversações tendo em vista uma possível renovação do acordo com o FMI", acrescentou.Meirelles voltou a enfatizar que a decisão sobre a renovação do acordo ainda não foi tomada, mas observou que a posição atual do Brasil "é muito confortável, com ou sem o Fundo, não se prevendo dificuldades para o financiamento de nossas contas externas". Segundo o presidente do BC, uma decisão sobre o acordo será divulgada nas próximas semanas.Ele reiterou a expectativa de US$ 10 bilhões de ingresso de investimento estrangeiro direto este ano e de US$ 13,4 bilhões para 2004. Repetiu que o Banco Central não tem uma meta para o nível da taxa de câmbio e lembrou a previsão de um superávit comercial de US$ 20,5 bilhões para o final de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.