Meirelles defende sistema de metas e descarta mudanças

Em sua exposição na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, fazendo um balanço das medidas econômicas adotadas nos primeiros 15 meses do governo Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, respondeu ao senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que o regime de metas de inflação vem funcionando adequadamente no Brasil. Prova disso, segundo ele, é que as expectativas de inflação estão em torno de 6% e a inflação acumulada em 12 meses encontra-se atualmente abaixo deste número. Meirelles reforça que a política de metas conseguiu trazer a expectativa de inflação para próximo do centro da meta (5,5%). Meirelles também afirmou, em resposta ao senador Suplicy, que o Banco Central não hesita em baixar os juros. Ele lembrou que no ano passado, o BC fez um corte na taxa de juros de dez pontos porcentuais. "Mas nós temos que manter um comportamento responsável", disse. Mudança no regime de metas Sobre a possibilidade de mudanças no regime de metas, o presidente do BC voltou a falar sobre a questão colocada hoje na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da adoção de metas ajustadas (mecanismo usado no ano passado para absorver de forma mais prolongada choques de oferta). Segundo ele, "não existiram choques de magnitude que justificasse o tipo de medida que se tomou o ano passado, quando o BC passou a trabalhar com uma meta ajustada de 8,5%". Ele também comentou que o Copom decidiu manifestar sua posição no debate sobre a questão das metas de inflação, por achar que isso seria importante e útil. "Este é um debate extremamente procedente, como os demais pontos que estão hoje sendo discutidos sobre política econômica", disse Meirelles. Ele voltou a ressaltar que a ata passou uma mensagem ao mercado "bastante clara".

Agencia Estado,

25 Março 2004 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.