André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Meirelles defenderá PEC do Teto em pronunciamento na TV e no rádio

Ministro da Fazenda vai explicar a proposta à população nesta quinta-feira, 6, e ressaltar que ela é fundamental para retomar o crescimento do País

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2016 | 21h38

BRASÍLIA - Numa ação pouco usual para a equipe econômica, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fará quinta-feira, 6, às 20h, um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão em defesa da aprovação da proposta de criação do teto do gasto. Durante três minutos, Meirelles vai explicar para a população o que é a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que cria o limitador do crescimento das despesas do governo. Também vai ressaltar que a peça é fundamental para o governo de Michel Temer conseguir a recuperação da contas públicas e a retomada do crescimento econômico.

A ideia do ministro na gravação foi usar uma linguagem simples e direta. Por isso, Meirelles procurou um tom mais próximo do cotidiano da pessoas para conseguir que entendam a proposta, que é bastante técnica e complexa. Além de explicar para a população o que é o teto, Meirelles vai defender a sua aprovação pelo Congresso como a “saída da crise“ e o caminho necessário para a recuperação dos 12 milhões de empregos perdidos no País. O foco do discurso do governo é relacionar o aumento do desemprego com o desequilíbrio das contas públicas.

A gravação foi feita antes de o ministro embarcar para os Estados Unidos, onde participará da reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI). O pronunciamento faz parte de uma ofensiva iniciada pelo governo esta semana para conseguir a aprovação da PEC no plenário da Câmara e que inclui campanha publicitária nos principais veículos de informação do País.

Com baixo apoio popular e com a retomada da economia ainda sem deslanchar, a PEC do teto do gasto virou a principal arma do governo para melhorar a sua avaliação e conseguir ampliar a confiança e os investimentos. O governo tem pressa porque precisa aprovar rapidamente o teto para evitar uma piora da sua avaliação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.