Meirelles destaca diferença entre políticas fiscal e monetária

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, disse hoje que o País cada vez mais segue o consenso de que não há um dilema entre estabilidade macroeconômica e desenvolvimento. Junto a esse consenso, Meirelles apontou também para uma melhora do diagnóstico e para o papel de cada política econômica. Segundo ele, apesar da política fiscal ser fundamental para a queda da relação dívida/PIB e também para levar à redução do risco país e da taxa de juros do médio e longo prazo, ela não deve ser confundida com a política monetária. "Não se pode trabalhar com uma mistura de instrumentos", afirmou, insistindo que cada uma das políticas - a fiscal e a monetária - tem um papel específico. Meirelles destacou que o BC tem trabalhado para reiterar a estabilidade que garante a previsibilidade e, com isso, viabiliza investimentos sustentados. Políticas diferentes Superávit primário é a diferença entre o que o governo arrecada e os seus gastos, exceto o pagamento de juros. Quanto maior o superávit, menor é a dependência do País por capital externo, deixando o País menos vulnerável aos choques externos. Aumentar o superávit primário faz parte da política fiscal do governo. Já a política monetária tem como instrumento o controle da Selic, a taxa básica de juros da economia, e é feita de acordo com o comportamento da inflação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.