Meirelles destaca impacto menor para alta dos juro nos EUA

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse hoje que a alta da taxa de juros que está sendo preparada nos Estados Unidos terá impacto diferente no mundo da que ocorreu nos anos 90. Naquela ocasião, disse, a causa para a elevação dos juros norte-americanos estava relacionada à preocupação com a inflação alta e nesse caso a motivação é o fim das preocupações com ameaça de deflação nos Estados Unidos."A situação da economia mundial hoje não é inesperada, inusitada, é natural. É o fim do ciclo das taxas baixas americanas", disse. "A idéia é que quando isso aconteça (alta do juro nos EUA) o mercado já tenha precificado tudo."Meirelles observou que os países emergentes, inclusive o Brasil, também estão em situação diferente da dos anos 90, quando era comum ter o câmbio controlado. Ele disse que a situação fiscal em vários países da América Latina melhorou desde aquela época e que as reservas internacionais, no caso da Ásia, eram muito menores."O que levou a séries de rodadas, a partir de 1995, de crises, como a do México, depois Tailândia, Coréia e Rússia", afirmou. De acordo com ele, o Brasil está com fundamentos muito mais sólidos do que no passado recente e lembrou os saldos comerciais e de conta corrente e a redução da parcela da dívida pública indexada ao dólar, entre outros fatores. Segundo Meirelles, "o importante é o médio prazo e o Brasil está na direção correta", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.