coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Meirelles diz que fundo soberano não afetará reservas

O Brasil vai usar recursosadicionais para criar seu fundo soberano de investimentos, semreduzir, portanto, o atual volume das reservas internacionais,que superam os 164 bilhões de dólares, afirmou o presidente doBanco Central, Henrique Meirelles, nesta segunda-feira. "As reservas internacionais estão lá e devem crescer aindamais. Recursos adicionais serão alocados para o fundo", disseMeirelles a jornalistas em Washington. Meirelles negou divergências com o ministro da Fazenda,Guido Mantega, sobre a fonte de financiamento do novo fundo,que será administrado pela Fazendo e pelo BC. "O que estamos discutindo agora é qual será o melhormecanismo para captalizar o fundo. Ele pode obter recursosdiretamente do mercado ou o banco central pode comprar (essesdólares) para o fundo", acrescentou. "Mas isso são detalhes técnicos, que não envolvem ofundamento do que estamos dizendo, de que as reservas serãoadministradas segundo critérios de liquidez internacional e ofundo será admnistrado com uma finalidade estratégica." Esses fundos servem para vários propósitos em diferentespaíses, mas normalmente são utilizados para investir os atuaissuperávits para as gerações futuras ou para gerar retornos maisaltos. O crescente papel desses fundos está chamando a atenção dasautoridades, que discutiram o assunto na reunião do G7 --grupodos sete países mais industrializados-- deste final de semana. Meirelles disse que a idéia de começar um fundo com umcapital de 10 bilhões de dólares --como disse Mantega nodomingo-- é boa, mas ainda não foi fechada. "Esses números mencionados pelo ministro fazem todosentido. O que eu apenas estou dizendo é que não estamos aindano momento de dizer que foi definido claramente. O ministroestá dando algumas informações importantes para a orientação domercado." Mantega anunciou na semana passada que o governo buscaráuma aprovação no Congresso neste ano para criar o fundo. Antes de falar com a imprensa, Meirelles reiterou em umevento com investidores e analistas em Washington que aeconomia brasileira está agora melhor preparada para lidar coma volatilidade dos mercados. Ele acrescentou que os desafios para o Brasil sãoatualmente aumentar a infra-estrutura e a educação e melhorar oambiente para os negócios.

WALTER BRANDIMARTE, REUTERS

22 de outubro de 2007 | 19h08

Tudo o que sabemos sobre:
BACENMEIRELLESATUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.