Meirelles diz que há espaço para real se valorizar, mas recua

Para uma platéia de analistas, investidores e empresários, durante o seminário "Crise e Oportunidade para América Latina" promovido pelo Council of the Americas, o presidente do Banco Central do Brasil, Henrique Meirelles, disse que há espaço para o real se apreciar. "Muitas pessoas em vários setores da economia estão preocupadas com o fato de que o real está se fortalecendo muito. A essas pessoas eu digo: descansem, não se preocupem muito, há ainda muito espaço para a moeda se apreciar porque se você levar em conta uma cesta de 15 moedas, o real ainda está depreciado, calculando-se a média desde 1989", afirmou Meirelles à platéia. Ele disse que não há razão para se preocupar com o nível real do câmbio. Segundo ele, o câmbio a R$ 3 por dólar é mais consistente com as condições atuais da economia do que a quase R$ 4 por dólar. "É importante ressaltar que o BC não tem meta para a taxa do câmbio. O BC tem meta apenas para a inflação. O mercado determinará a taxa de câmbio, o que não significa que nós não acompanhamos de perto a taxa de câmbio". Mais tarde, em entrevista coletiva à imprensa após sua palestra do seminário, Meirelles negou que tenha feito previsão sobre a apreciação do real. "Não foi isso que eu disse. Eu apenas mostrei dados históricos para que o mercado possa ter melhores condições de se posicionar, dando taxas de valorizção e desvalorização nominal da moeda e por acaso mostrei uma linha que demonstra que numa cesta de 15 moedas, calculada desde 1989, com o valor do real em março de 2003, qual seria a taxa média do real em dólares tendo por base essas 15 moedas. Mas eu também disse que isso não servia de nenhum tipo de indicador para o Banco Central pois o BC não tem meta de câmbio, apenas meta de inflação", explicou Meirelles.Ele ressaltou aos jornalistas que nos patamares atuais de câmbio o Brasil está competitivo. "Apenas mostrei que mantemos as projeções para este ano de ter um saldo comercial acima de US$ 15 bilhões com o patamar atual de câmbio", afirmou. Meirelles disse que o BC não comenta patamar de câmbio e que apenas mostrou projeções. "Apenas mencionei fundamentos para projeções que temos de balança comercial", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.