Meirelles fala em novas medidas contra inflação; depois nega

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse que estão sendo estudadas novas medidas para o combate à inflação. "Estamos estudando, por instruções do presidente (Luiz Inácio Lula da Silva), tudo aquilo que a sociedade brasileira pode fazer. Há muitas coisas que já estão sendo feitas e que poderão ser anunciadas", afirmou. Mas ao ser questionado sobre quais seriam essas medidas, recuou. "O BC não anuncia estudo sobre medidas futuras". O presidente do BC ainda acusou parte da sociedade brasileira de ainda "não ter entendido" os prejuízos da inflação. Essas declarações de Meirelles foram motivo de uma pequena polêmica durante sua entrevista. Depois de deixar escapar comentários sobre possíveis medidas que seriam tomadas pelo governo, Meirelles recuou e afirmou que o Banco Central não anunciava nada que ainda estivesse em estudo. Mais tarde, durante a mesma conversa, Meirelles recuou ainda mais e optou por insistir que não existia nenhum nova medida a ser anunciada, além das que o presidente Lula já teria indicado. Outra versão é de que o presidente do BC apenas confirmava o discurso do presidente Lula, indicando que novas medidas precisariam ser tomadas. Meirelles está na Basiléia para participar da reunião bimestral do Banco de Compensações Internacionais (BIS) ao lado dos principais bancos centrais do mundo. Ele indicou também que não está disposto a intervir no câmbio, e insistiu que redução de taxa de juros somente ocorrerá quando as condições forem adequadas. "Se a taxa de juros caíssem artificialmente, a atividade econômica cairia e subiriam a inflação e a taxa de juros de mercado", disse.

Agencia Estado,

08 Maio 2005 | 20h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.