Meirelles minimiza críticas durante passagem por Recife

Disposto a minimizar os rumores sobre sua saída do comando Banco Central e as críticas à política econômica do governo, o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, fez declarações amenas, nesta quinta-feira, à imprensa, durante sua breve passagem pela cidade de Recife - onde permaneceu por pouco mais de 20 horas depois que o avião da TAP no qual viajava, com destino a Portugal, teve que fazer um pouso de emergência depois de sofrer a segunda pane após a decolagem, feita São Paulo. "Essas críticas são normais. O importante, é que o Brasil vive um momento de sucesso, com crescimento da economia e do emprego. A redução dos juros é sim necessária, mas sem elevação da inflação", ponderou, quando deixava o restaurante La Douane (localizado em um dos mais luxuosos shoppings do Recife, o Paço Alfândega). Lá, Meirelles almoçou ao lado de um pequeno grupo de integrantes do BC local. Bem-humorado, o presidente do Banco Central se disse "satisfeito" por estar em Recife, apesar da parada não ter sido programada. Na saída do shopping, Meirelles, como a maioria dos turistas que passam pelas margens do rio Capibaribe, no centro da cidade, aproveitou para tirar uma foto ao lado de alguns monumentos instalados na área. Ao ser questionado sobre a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) - que reavalia a Selic, a taxa básica de juros da economia -, o presidente do BC desconversou. Meirelles passou toda a manhã e parte da tarde reunido com executivos do BC. Na pauta, segundo o próprio presidente, algumas "questões regionais". No final da tarde, Meirelles seguiu para o Aeroporto Internacional dos Guararapes, onde seu embarque estava previsto para as 19 horas. Em Lisboa, ele participa do Fórum Brasil Portugal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.