Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Meirelles: projeções mostram início sólido de recuperação

O Brasil mostrou resiliência durante a crise e capacidade de recuperação, disse hoje o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, em entrevista coletiva, em Nova York. "Os principais indicadores (econômicos) mostram que o Pais está em processo de recuperação", afirmou. Meirelles comentou que as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) para 2009 estão avançando de forma regular, semana a semana. "Em resumo, estão se movendo para cima, para um terreno neutro", afirmou.

NALU FERNANDES, Agencia Estado

25 de agosto de 2009 | 13h42

Para 2010, considerando-se o efeito de carregamento estatístico que se vê atualmente, as projeções que apontam para PIB um pouco acima de 4% não seriam de um otimismo excessivo, na avaliação dele. Meirelles cita que o consenso de mercado estima uma expansão do PIB no próximo ano pouco abaixo de 4%, mas acrescenta que algumas projeções indicam algo acima deste porcentual de crescimento para 2010. "(Este nível) não é muito otimista pelo que vemos neste ponto de carry over", explicou. Ele citou que as projeções de mercado apontam para um intervalo do PIB anualizado entre 4% e 8% para o segundo trimestre deste ano. "Isto é um início sólido da recuperação", destacou durante a coletiva, após palestra organizada pela Câmara de Comércio Brasil-EUA.

De acordo com o presidente do BC, o processo de estabilização da economia realizado nos últimos anos elevou o potencial de crescimento do PIB. "Então, o Brasil tem capacidade de utilização de forma que deixa possível retomar o crescimento sem as pressões e desequilíbrios que existiam no passado", disse. As projeções para o PIB, afirmou Meirelles, mostram claramente a capacidade do Brasil de restaurar a trajetória de crescimento sustentável sem o desequilíbrio que prevaleceu no passado.

O presidente do BC avalia que há "alguns riscos à frente", ligados à recuperação econômica nos EUA, Europa e em outros países. "Se titubear aqui (nos EUA), evidentemente, poderia afetar a economia brasileira. Mas, fundamentalmente, estamos indo na direção certa no Brasil", completou.

Meirelles, que esteve no último final de semana no simpósio econômico organizado pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano) em Jackson Hole, Wyoming (EUA), e que reuniu presidentes de bancos centrais de todo o mundo, avalia que a crise internacional já está mostrando sinais de inflexão, com indicadores em recuperação em diversas economias. "Uma recuperação moderada", ponderou, o que significa que será um processo prolongado, sujeito a riscos referentes ainda às possibilidades de algum tipo de volatilidade não só nos mercados como inclusive nos níveis de atividade econômica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.