Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Meirelles: queremos evitar mal-entendido sobre o fundo

Sem esconder desconforto por estar tendo que dar esclarecimentos sobre o funcionamento do fundo soberano internacional, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, enfatizou esta noite que estava dando explicações sobre a decisão do governo de não usar os recursos das reservas internacionais na composição do fundo para evitar uma "série de mal-entendidos e especulações" no mercado. "A sistemática de administração do fundo, as regras de governança, as normas de aplicação e o processo de compra de recursos do fundo ainda não estão definidos. Estamos anunciando antes dessa definição (que o governo não utilizará as reservas) para evitar uma série de mal-entendidos e especulações, como esta de que poderíamos usar parte das reservas. Não vai", disse Meirelles. O presidente do BC enfatizou a intenção de criar o mais rapidamente o fundo, mas existem limitações impostas pela estrutura jurídica. "Vamos ter que fazer isso com calma",justificou. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, não quis comentar as declarações feitas por ele mesmo hoje, no início da tarde, quando afirmou que o fundo usaria uma pequena parte das reservas. Ao ser confrontado com pergunta relacionada às declarações prévias, ele entrou rapidamente no carro alegando que estava atrasado para uma cerimônia no Palácio do Planalto e deixou Meirelles dando a entrevista sozinho. Antes, porém, declarou que as reservas continuarão crescendo. "Elas continuarão crescendo, não é, doutor Meirelles?", disse, dirigindo-se ao presidente do BC.

ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

26 de novembro de 2007 | 20h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.