Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Meirelles reafirma que combate à inflação é prioridade

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou há pouco, em solenidade de transmissão de cargo na diretoria do Banco Central (BC), que a diminuição do passivo cambial ? volume de papéis públicos com remuneração vinculada ao dólar ? é um objetivo de longo prazo definido com clareza pelo governo. "Por outro lado, qualquer observador atento da economia brasileira sabe que o BC não tem adotado e não adotará atitudes abruptas e manterá a serenidade e a firmeza que tem caracterizado sua atuação na condução da política monetária e cambial." Meirelles enfatizou que o BC se esforça neste momento em sua missão de combater a inflação. "Como venho dizendo, o principal remédio empregado pelos bancos centrais dos principais países na defesa da moeda tem sido a taxa de juros. Outros métodos, como controle da taxa de câmbio e de agregados monetários, foram abandonados após inúmeros insucessos. O presidente do BC chamou atenção para o fato de que aqueles observadores da cena nacional que "legitimamente" se preocupam com a taxa de juros deveriam se preocupar com a inflação e com a estrutura de formação de preços no País. "É aqui que se decidirá a batalha da inflação. E é aqui, portanto, que se decidirá também a batalha da redução da taxa de juros, que todos, inclusive nós do BC, esperam." Ele concluiu dizendo que a inflação tem que cair para que os juros possam cair de forma consistente. "E uma inflação baixa é condição essencial para a retomada do crescimento, distribuição de renda e justiça social. É isso o que espera de nós a sociedade brasileira."

Agencia Estado,

27 de maio de 2003 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.