Joédson Alves|EFE
Joédson Alves|EFE

Meirelles responde perguntas de internautas pelo Twitter

Ministro da Fazenda chegou à sede da rede social em São Paulo com mais de uma hora de atraso; enquanto não confirma se será candidato à presidência da República, Meirelles tem intensificado viagens pelo País

O Estado de S.Paulo

14 Março 2018 | 12h03

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegou ao Twitter Brasil, na zona sul de São Paulo, para responder a perguntas ao vivo feitas através do microblog pela hashtag #pergunteaomeirelles, com mais de uma hora de atraso. A rodada de perguntas ao ministro estava prevista para as 10h30.

A explicação para o atraso de Meirelles, que deverá implicar em outros no decorrer da extensa agenda do ministro hoje, foi a internacionalização dos aeroportos brasileiros em função da abertura do Fórum Econômico Mundial, versão latina, em São Paulo. Meirelles, que veio de Brasília, teve que passar pelo raio X do Aeroporto na capital federal e sua bagagem pelo detector de metais, procedimento que normalmente as autoridades são dispensadas.

Futuro. Enquanto não confirma se será candidato à presidência da República, Meirelles tem intensificado viagens pelo País, dado entrevistas diárias a rádios do interior e aumentado a presença nas redes sociais.

 


Nos últimos dias, o ministro incrementou as postagens em sua conta do Instagram, lançada no fim de fevereiro, onde intercala fotos de eventos dos quais participa com fotos pessoais - ontem, ele postou uma foto com um de seus cachorros no colo. Na rede social, Meirelles se descreve como "otimista com o futuro do Brasil" e diz que está "exercendo atualmente a função de Ministro da Fazenda".

Como mostrou reportagem do 'Estado' publicada na segunda-feira, com menos de 1% nas pesquisas eleitorais, Meirelles passou a dividir a agenda de ministro com a de pré-candidato em busca de popularidade. Desde dezembro, voou 42 vezes com a FAB, em oito ocasiões para fora do eixo Rio-São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Henrique MeirellesTwitter

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.