Meirelles:previsões de IPCA estão consistentes com meta

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou nesta quinta-feira que a economia brasileira está crescendo fortemente e que a autoridade monetária está preparada para tomar as ações necessárias, mas ressaltou que as expectativas de inflação estão consistentes com a meta do ano que vem.

SILVIO CASCIONE, REUTERS

17 de dezembro de 2009 | 10h02

Ele acrescentou que o BC tem as ferramentas para manter a estabilidade dos preços em 2010 e que o BC está tomando medidas para evitar eventuais transmissões de desequilíbrios gerados nos Estados Unidos por excesso de liquidez.

"O BC tem os mecanismos e o compromisso para manter a estabilidade dos preços em 2010", disse, em entrevista ao programa Bom Dia Ministro, da rede NBR de televisão.

"O ponto importante é o seguinte: o Banco Central tem o compromisso com uma meta de inflação... O Banco Central do Brasil toma todas as medidas necessárias para que essa meta seja atingida."

Meirelles afirmou ser importante olhar as previsões de inflação para 2010 para avaliar a política monetária e que as projeções, de acordo com o relatório do BC com os agentes de mercado, estão consistentes com a meta do ano que vem.

"A economia brasileira está crescendo muito e não há dúvida que em algum momento sempre é possível que surja alguma pressão de preços. Caso surja, o BC estará preparado para tomar as medidas necessárias ao tempo e à hora."

"Existe sempre a possibilidade de que algum desequilíbrio, algum descompasso, entre a capacidade do país de produzir e a demanda, isto é, o consumo, cause alguma pressão de subida de preço", afirmou Meirelles.

Ele ponderou, no entanto, que o crescimento após a crise tem sido "equilibrado" e "sustentável", e que a previsão de crescimento do mercado de crédito em 2010 é bastante positiva.

Sobre os Estados Unidos, ele disse que a política expansionista para tirar a economia da recessão coloca muito dinheiro em circulação, o que pode gerar alguns desequilíbrios em outras economias.

"São as chamadas bolhas... O governo brasileiro está atento para evitar que se transmita ao Brasil algum desequilíbrio criado nos EUA", disse Meirelles.

PERMANÊNCIA NO BC

Questionado sobre uma eventual candidatura política, Meirelles respondeu que está totalmente focado no BC até pelo menos abril, prazo para concorrer a algum cargo.

Ele também afirmou que "existe também um pedido do presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) para que eu fique no Banco Central, na realidade, até dezembro".

"É um pedido importante, certamente vou levar em consideração", completou.

Sobre a discussão dentro do PMDB a respeito de uma possível candidatura de Meirelles à vice-presidência, ele afirmou que o debate ainda é "um pouco prematuro".

"Não estou participando de nenhuma articulação ou discussão em relação a esse assunto".

Tudo o que sabemos sobre:
BACENMEIRELLESATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.