Melhora da perspectiva de risco é positiva, diz Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse, após palestra na Confederação Nacional da Indústria (CNI), que a melhora da perspectiva de risco do Brasil anunciada hoje pela Standard & Poors é altamente positiva. "Não a mudança em si. Ela é apenas um passo. Mas confirma uma tendência que é a redução do risco Brasil, a elevação dos preços dos títulos brasileiros, o aumento da demanda por títulos da dívida e o aumento da captação pelas empresas", afirmou.Meirelles disse também que o Banco Central não irá administrar interesses de setores específicos em relação ao comportamento da taxa de câmbio. Segundo ele, exportadores e importadores estão de lados opostos na questão cambial. "Os exportadores querem taxas maiores e os importadores, menores. Mas o Banco Central não é administrador deste ou daquele setor", afirmou. Para Meirelles, o sistema de câmbio flutuante achará o ponto de equilíbrio adequado.Ele disse também que a "queda da inflação é pré-condição para os juros cairem a longo prazo". Segundo o presidente do BC, não existem países que tenham crescido com inflação alta. "O governo está comprometido com a queda da inflação. É importante que esta mensagem seja entendida pela sociedade", afirmou. Para Meirelles, se os agentes econômicos acreditarem nisso, haverá um reflexo positivo na economia.Ele destacou que as reformas tributária e previdenciária e o cumprimento da meta de superávit primário, aliados à queda da inflação, serão o caminho para a redução das taxas de juros e diminuição do custo Brasil. "É preciso que o empresário não aposte na alta da inflação porque isto não é bom para os negócios. Quem apostar, vai perder", disse. O presidente do BC disse ter saído bastante otimista da reuinião com os empresários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.