Melhora expectativa dos indicadores externos, diz Febraban

Pesquisa realizada pela Febraban na segunda semana de agosto junto a 58 instituições bancárias mostra melhoria dos indicadores externos da economia brasileira. A informação é de Roberto Troster, economista-chefe da Febraban. A estimativa para a balança comercial é de um superávit de US$ 7,04 bilhões em 2002, superando em US$ 2,48 bilhões a previsão feita em julho de US$ 4,56 bilhões. A projeção de superávit (saldo positivo) da balança comercial para 2003 alcança US$ 9,02 bilhões, comparativamente aos US$ 6,93 bilhões do mês anterior.A perspectiva positiva em relação ao resultado comercial está acompanhada de uma redução do déficit de transações correntes estimado em US 17,40 bilhões. Em julho, a projeção era de US$ 20,43 bilhões. A estimativa do déficit em transações correntes diminuiu US$ 3,03 bilhões em dois meses. Neste período, a previsão de investimentos diretos diminuiu apenas US$ 720 milhões, ficando em US$ 16,60 bilhões. Portanto, a projeção das necessidades de recursos externos novos (transações correntes menos investimentos diretos) diminuiu US$ 2,31 bilhões.Houve também melhoria na expectativa de queda do risco Brasil, que, desde abril, se apresentava crescente (675; 757; 819; 964; e 1.261 pontos, respectivamente). Em setembro, a estimativa do risco Brasil para dezembro de 2002 foi de 1.253 pontos. Atualmente, o risco está no patamar de 1.700 pontos, isso significa uma queda de 700 pontos em relação aos valores de julho, e de mais 450 pontos até dezembro, "se as projeções se mostrarem acertadas", observa Roberto Troster.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.