Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Mello sugere que decisão sobre poupança seja em 2014

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), sugeriu nesta quarta-feira, 27, que o julgamento sobre a correção das cadernetas de poupança, em função dos planos econômicos das décadas de 1980 e 1990, seja adiado para o início do ano judiciário de 2014. Mello alegou que o plenário está cheio, o que revela a "importância e a repercussão maior do tema". "A pauta envolve valores muito caros para, não digo o governo, mas digo o próprio País", afirmou.

CÉLIA FROUFE E FELIPE RECONDO, Agencia Estado

27 de novembro de 2013 | 15h18

Ele afirmou que não é tradição do STF fazer apreciações de temas complexos ao fim do ano e que há apenas mais três sessões pela frente, ante do início do recesso e das férias coletivas de janeiro. Mello lembrou que a discussão se dará em cima de questões ligadas à política monetária e há quatro planos econômicos que tinham como objetivo combater a inflação.

De acordo com o ministro do STF, se houver o adiamento, não há qualquer dificuldade em relação à contagem de prazos de processos que estejam em julgamento. "O ideal é que não se tenha uma cisão. Proponho que não julguemos esses processos pautados no dia de hoje", disse. Dois relatores do caso já concordaram com o argumento de Mello.

Tudo o que sabemos sobre:
PoupançajulgamentoSTFMello

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.