Membros do Banco da Inglaterra já consideraram subir juro--ata

Alguns membros do Banco da Inglaterraconsideraram votar pela a elevação do juro neste mês antes deapoiarem a manutenção da taxa em 5 por cento --decisão quevenceu por oito votos a um. A ata da reunião de 4 e 5 de junho do Comitê de PolíticaMonetária mostrou que David Blanchflower manteve sua posição afavor do corte de 0,25 ponto percentual, mas o restante avaliouque não era o caso de reduzir o juro por causa da deterioraçãodo cenário de inflação. Os responsáveis pela política monetária, no entanto,deixaram a porta aberta para um corte, à espera de novos dadossobre a economia. Alguns membros do banco avaliaram que era omomento de elevar o juro, mas decidiram não fazê-lo por causados sinais de que a crise de crédito está atingindo agora maissetores da economia. "Ainda que uma alta do juro nos próximos meses sejapossível, continuamos a ver a maioria do comitê a favor damanutenção da taxa", disse Michael Hume, economista do LehmanBrothers. "Ainda esperamos que a preocupação com o crescimento dominegradualmente o comitê, e por isso prevemos um corte do juroainda neste ano, mais provavelmente em novembro." Dados divulgados nesta terça-feira mostraram que a inflaçãoatingiu 3,3 por cento em maio, maior nível desde a chegada doPartido Trabalhista ao poder, em 1997. O resultado forçou odiretor do Banco da Inglaterra, Mervyn King, a escrever umacarta de explicações para o governo. Em sua carta, King acalmou o mercado em relação à iminênciade uma alta do juro, dizendo que os responsáveis pela políticamonetária precisam equilibrar as pressões inflacionárias decurto prazo com a possibilidade de que uma desaceleraçãoabrupta da economia coloque a inflação abaixo da meta de 2 porcenro em dois anos. Blanchflower, voz dissonante a favor de uma redução dojuro, disse que há o risco crescente de que a economiadesacelere de forma muito rápida --ainda que uma recessão nãoesteja no centro de sua previsão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.