Menina que engoliu ímã pode ser 1ª vítima da Mattel no Brasil

Empresa afirma que se encontrou com a mãe da criança e, se caso for comprovado, cuidará do tratamento

28 de setembro de 2007 | 19h28

Os produtos em recall da fábrica de brinquedos Mattel podem ter feito a primeira vítima no Brasil. A mãe de uma criança relatou ao Estado que sua filha engoliu, em 2005, quando a menina tinha sete anos, um imã da peruca de uma boneca Polly e tem problemas de saúde em decorrência disso. A reportagem completa de Ana Paula Lacerda sobre o caso será publicada na edição deste sábado, 29, no Estadão.   A empresa, em comunicado enviado ao Estadão, informa que se encontrou com a mãe da menina e diz que designou um médico para avaliar o diagnóstico da criança. E, se ficar comprovado, a Mattel afirma ainda que se comprometerá com o tratamento, mas reitera que, por enquanto, não há nenhum caso confirmado no Brasil relativo aos recalls da empresa.   LEIA MAIS NO ESTADÃO DESTE SÁBADO   No início de setembro, a Mattel anunciou um terceiro recall de produtos feitos na China, afirmando que recolheria mais de 800.000 unidades distribuídas em todo o mundo com níveis de chumbo proibidos. Seriam recolhidas 522.000 unidades nos Estados Unidos e 322.000 em outros países. No Brasil, 7.000 unidades foram afetadas pelo recall, segundo informações da empresa. Os brinquedos foram importados entre 3 de agosto de 2006 e 31 de julho de 2007.   O novo recall envolvia modelos Fisher-Price e oito produtos da marca Barbie. Não há bonecas envolvidas, e sim acessórios como um tipo de bolsa, três modelos de cachorro e dois modelos de gato. A Mattel instruiu os consumidores a verificarem em seus sites se compraram um brinquedo afetado.   Os endereços são www.service.mattel.com ou, no Brasil, www.recallmattel.com.br. Os consumidores terão que preencher um formulário e mandar as peças afetadas. A empresa comprometeu-se a trocá-las e a mandar partes adicionais.   Após os recalls, o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC) decidiu suspender, desde 17 de agosto, todas as licenças de importação (LI) de produtos da empresa Mattel. O objetivo era impedir que brinquedos com defeito - presentes na lista do recall mundial da empresa - entrem no Brasil. .   O recolhimento surgiu a partir de uma investigação da própria Mattel sobre seus produtos feitos na China. Anteriormente, a empresa já havia anunciado dois recalls de milhões de brinquedos chineses devido a quantidades excessivas de tinta com chumbo e outros perigos. As medidas provocaram preocupação em relação à qualidade dos produtos feitos na China. A presença de chumbo na tinta é relacionada a problemas de saúde em crianças, incluindo danos cerebrais.   (Com Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
Mattel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.