Mercadante defende correção da tabela do IR ainda este ano

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), disse nesta segunda-feira que o governo deveria voltar a debater ainda este ano a correção da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). "Trata-se de uma reivindicação justa e legítima, porque há uma injustiça que vem se perpetuando, principalmente contra a classe média", disse o parlamentar, depois de reunir-se com empresários e o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em São Paulo. "Temos que avaliar algo equilibrado e realista", complementou, ao insistir que haveria espaço para tratar o assunto ainda em 2004.Ao contrário do presidente nacional do PT, José Genoino, o parlamentar entende que a correção da tabela não precisa ser tratada no contexto de uma reforma tributária mais ampla. Para ele, há necessidade de o governo avaliar o retorno social de determinadas políticas de renúncia fiscal, como aconteceu com a redução tributária promovida para os bens de capital, que resultou em aumento de vendas e arrecadação, e a desoneração completa dos itens que compõem a cesta básica. "O governo optou pela desoneração da cesta básica porque atende mais pessoas e só uma minoria nesse País, infelizmente, paga Imposto de Renda. Mas nem por isso a reivindicação (de reajuste da tabela) é menos justa", ponderou.Apontado como um dos principais nomes do PT para disputar o governo de São Paulo em 2006, o senador negou que a recente derrota da prefeita Marta Suplicy tenha caracterizado uma espécie de litígio entre o PT e a classe média, por conta principalmente das taxas criadas pela administração petista. "A eleição foi marcada essencialmente por temas municipais", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.