Mercadante defende meta de inflação com prazo de 3 anos

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), depois de afirmar ser contrário a qualquer mudança na meta inflacionária para este ano, explicou que uma meta fixa de longo prazo para a inflação deveria ser adotada, como foi no Chile, por um período de três anos. Segundo ele, a meta de inflação deve ser adotada junto com um piso para o crescimento do PIB. Desta forma, explicou, a meta de 5,5% de inflação para este ano seria repetida no próximo ano. "É importante criar uma meta realista, que possa dar previsibilidade e credibilidade para a política econômica", afirmou. Segundo ele, a meta de 5,5% é bastante realista e deveria ser mantida. Mercadante disse que não discutiu essa proposta com a equipe econômica. Esse modelo, afirmou, substituiria um critério de estabelecer uma inflação "extremamente otimista, que não se cumpre". E seria substituída por uma "meta realista a ser cumprida". De acordo com o senador, o modelo deveria incluir também uma previsão para o caso de choque externo. "É preciso deixar previsto o que fazer se houver um forte impacto na economia", concluiu.

Agencia Estado,

25 Março 2004 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.