Mercadante: déficit em conta não pode crescer assim

O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), senador Aloizio Mercadante (PT-SP), disse hoje que o déficit em conta corrente é um problema que terá que ser enfrentado no médio prazo. "O déficit em conta corrente não pode se acelerar nessa velocidade", disse Mercadante, referindo-se ao indicador que até o ano passado registrava superávit. Em palestra no 20º Fórum Nacional, o presidente da CAE voltou a defender que o Fundo Soberano do Brasil seja criado, mas não imediatamente, e que o superávit fiscal seja aumentado este ano. Ele também disse ser favorável à contenção, pelo governo, de outros gastos correntes que não o Bolsa-Família ou o salário mínimo, que ele acredita serem especialmente importantes neste momento, com a inflação dos alimentos.Mercadante também defendeu a regulamentação do direito de greve dos servidores públicos e queixou-se das greves da Advocacia-Geral da União e da Receita Federal. "São duas categorias que praticamente dobraram o salário nos últimos quatro anos", ressaltou.Mercadante afirmou ainda que a descoberta de petróleo na camada pré-sal, na Bacia de Santos, terá um grande impacto na economia. Ele levantou até a possibilidade de que as receitas do petróleo possam resolver os problemas do déficit na Previdência. Mercadante destacou que os problemas em discussão no Fórum Nacional estão sendo abordados numa perspectiva de crescimento do País, diferente dos últimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.