Mercadante nega saída de Meirelles, mercado desconfia

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, negou na manhã desta terça-feira que o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, esteja de saída do governo. "Meirelles tem toda a confiança do presidente Lula", afirmou o líder do governo em conversa com a Agência Estado. "Ele está prestando um grande serviço ao País", completou ele, lembrando que Meirelles "comanda uma trajetória consistente de redução das taxas de juros".Apesar da afirmativa de Mercadante de que Meirelles continua na presidência do BC, os investidores não estão muito otimistas. Os sinais parecem justificar. Até este momento, Meirelles não se manifestou sobre a mudança no ministério da Fazenda. Investidores e analistas estrangeiros já manifestaram esta estranheza, de acordo com apuração do correspondente em Londres, João Caminoto."O Meirelles e Mantega não se bicam, na verdade defenderam em muitas ocasiões posições antagônicas dentro do governo. Acho preocupante que até o momento o presidente do BC não tenha tomado a iniciativa de falar alguma coisa, de acalmar os mercados. Não acredito que os dois conseguirão se suportar por um longo período", disse um estrategista de um banco alemão.Outro sinal negativo é que Meirelles não comparecerá quinta-feira a uma sessão conjunta das Comissões Mista de Orçamento do Congresso, de Finanças e Tributação da Câmara e de diversas outras comissões da Câmara e do Senado, para prestar contas sobre as atividades do Banco Central no segundo semestre do ano passado.A secretaria da Comissão Mista informou que o cancelamento partiu dela, pois a comissão está empenhada na votação do Orçamento Geral da União para este ano, já atrasada em três meses. Esta prestação de contas do presidente do BC é periódica e ocorre normalmente duas vezes por ano.Mercadante reafirma política econômicaMercadante reafirmou que "não está em discussão a política econômica do governo". Ele lembrou que o Brasil tem hoje "a terceira menor inflação do período pós-guerra e o menor custo da cesta básica desde a criação do Dieese". "A política econômica não está em discussão e Guido Mantega não entrou para o Fazenda por conta desta questão", afirmou o líder que ontem participou da reunião no Palácio do Planalto em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva formalizou a ida do economista Guido Mantega para o Ministério da Fazenda.O líder Aloizio Mercadante informou também que ontem conversou com o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci e com o secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy. A Levy ele pediu para que repense sua decisão de sair do governo. Levy foi sondado para assumir a vice-presidência de Administração e Finanças do Banco Interamericano de Desenvolvimento(BID). "Pedi para o Levy não tomar qualquer decisão sem conversar comigo", informou. "Ele é uma pessoa consistente", elogiou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.