Mercadante tenta resolver impasse entre Genro e Dirceu, hoje

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), disse hoje acreditar que o encontro a ser mantido nesta tarde entre ele, o presidente interino do PT, Tarso Genro, e os governadores do partido Jorge Viana (AC), Wellington Dias (PI) e Zeca do PT (MS) poderá encontrar uma solução para a disputa mantida entre Genro e o deputado José Dirceu (SP), para a formação da chapa do Campo Majoritário do partido para disputa da presidência da sigla nas eleições internas de 18 de setembro. "Vou conversar com o Tarso Genro para ver se a gente consegue encontrar uma solução para essa dificuldade do partido", disse o senador, ao chegar à sede nacional do PT, no centro da capital paulista.Ontem, Mercadante esteve reunido com Dirceu, o assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, e o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, para discutir o impasse político travado no Campo Majoritário. "Apresentamos a José Dirceu um pouco das preocupações, uma reflexão de uma parte da nossa militância, que nossos dirigentes fazem, e ele se mostrou aberto ao diálogo", contou, sem entrar em detalhes sobre o conteúdo da conversa e da linha de argumentação apresentada ao ex-ministro-chefe da Casa Civil."É evidente que nós não podemos montar uma nova direção do partido sem equacionar esta questão de forma muito efetiva. O presidente Tarso Genro conta com o nosso apoio e é muito importante que ele dê prosseguimento a essa transição, mas nós precisamos dialogar no sentido de encontrar uma boa solução, que não signifique prejulgamento de quem quer que seja, mas proteja o partido nesse momento delicado que nós atravessamos", explicou.Mercadante não fez uma crítica direta a Genro, mas avaliou que o ultimato dado pelo atual presidente do PT para a saída de Dirceu da chapa do Campo Majoritário "não ajuda na construção de uma solução". "O Tarso Genro é um dirigente experiente, bastante vivido, ele vive uma pressão grande e não é fácil dirigir um partido num momento desses. É evidente que colocar questões como essa publicamente e com prazo (o ultimato dado por Genro a Dirceu venceu ontem) não ajuda na construção da solução", analisou. "Mas esse é um episódio superado", complementou o líder governista no Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.