Mercadante volta atrás: não há negociação formal com FMI

Menos de duas horas depois de dizer em entrevista que o governo brasileiro já está negociando um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), "em novas bases", o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, divulgou uma nota de esclarecimentos em relação à negociação do governo brasileiro com o Fundo Monetário Internacional. Diz a nota: "Nós não estamos negociando formalmente um acordo com o FMI. Essa decisão só será tomada formalmente no final de outubro. Mas nós estamos permanentemente em negociação com o Fundo, com as equipes de auditoria e, inclusive, com a diretoria do FMI. O que nós estamos abrindo é um debate público e transparente sobre um novo acordo em novas bases que assegurem a retomada do crescimento econômico. Se essas condições não forem asseguradas nos contatos e diálogos que sempre ocorrem com o Fundo, acredito que devemos correr o risco de não renovar o acordo e caminhar com nossas próprias pernas".No início da tarde de hoje, Mercadante havia dito que "o governo brasileiro está negociando, pretende e vai negociar à exaustão". Também hoje, em Washington, o diretor-gerente do FMI, Horst Koeler, afirmou que "é concebível" que o Brasil possa manter a estabilidade "sem um acordo sucessor" do que tem atualmente com o Fundo, previsto para terminar no fim do ano. Foi a primeira vez que o Fundo admite explicitamente a não renovação do acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.