Mercado a espera do anúncio da equipe de transição

Finalmente confirmou-se o que o mercado e o País já esperavam: Lula é o presidente eleito do Brasil. Isso deve gerar uma semana de grandes expectativas no mercado financeiro, principalmente nos negócios com câmbio, que espelham como nenhum outro as impressões dos investidores nacionais e estrangeiros em relação ao futuro do País. A notícia mais importante, depois da confirmação da vitória petista, é o anúncio da equipe de transição, previsto para amanhã. Hoje, o mercado de câmbio deve ficar de olho nos pronunciamentos de Lula e seus assessores. O presidente eleito fala à Nação às 12 horas e deve reiterar compromissos como o de respeitar todos os contratos firmados pelo atual governo, de manter a inflação sob controle, reduzir o desemprego, acabar com a fome e aumentar as exportações. Ele deve ainda agradecer os votos recebidos e saudar seu adversário, José Serra. Lula também cumprimentará o presidente Fernando Henrique Cardoso pelo comportamento que teve durante as eleições. Até aí nenhuma novidade, mas a reiteração desses compromissos deve ajudar o mercado a movimentar-se com tranqüilidade hoje, em compasso de espera pelas primeiras decisões que envolvam a próxima equipe de governo, aguardadas para amanhã. A expectativa é de que o volume de negócios e as oscilações das cotações do dólar não sejam muito expressivos hoje, já que no final da semana passada o mercado se ajustou a uma melhora de perspectivas em relação ao cenário interno. Vencimentos cambiaisVale lembrar que na próxima sexta-feira, dia 1º de novembro, vencem cerca de US$ 2 bilhões em contratos atrelados à variação do câmbio e também há vencimentos de contratos futuros de dólar novembro na BM&F. O mercado considera a possibilidade de novos movimentos de disputa para o fortalecimento da ptax (taxa média diária de câmbio), mas avalia que eles devem se tornar perceptíveis somente a partir da próxima quarta-feira. Quanto à intensidade desse movimentos, os especialistas afirmam que depende das primeiras expectativas que se formem sobre o governo Lula. Até agora, o Banco Central não deixou claro se tentará ou não fazer a rolagem desse vencimento. Hoje o mercado compra dólares para o dia 30 quando vencem cerca de US$ 150 milhões em compromissos privados. Os operadores acreditam, no entanto, que as empresas que necessitam de dólares para honrar esses vencimentos já têm a moeda necessária em mãos, ou pelo menos a maior parte dela. AberturaNa abertura dos negócios, às 9h34, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,740, em alta de 0,27% em relação ao fechamento de sexta-feira. Veja aqui a cotação do dólar dos últimos negócios. Já no mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 23,130%, frente a 22,980% ao ano negociados ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.