Werther Santana/Estadâo
Werther Santana/Estadâo

Mercado se anima com Bradesco, digere o FGTS e aguarda pelos dados de emprego

Segundo maior banco do Brasil registrou alta de 25,2% no lucro, acima das projeções; liberação do FGTS tem impacto moderado nos negócios

O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2019 | 09h04

Com o exterior até agora sob controle, os investidores brasileiros devem abrir o pregão desta quinta-feira, 25, animados com os resultados do Bradesco, que registrou lucro de R$ 6,46 bilhões no segundo trimestre (alta de 2,5,2%) e com a Ambev, que fechou o período com alta de 16,1% (R$ 2,7 bilhões), resultado impulsionado pelo aumento de 3% no consumo de cervejas. No radar do dia também está a liberação do FGTS, cujo anúncio no fim do dia teve efeito moderado nos negócios. A agenda local traz também os números sobre criação de emprego do Caged, que será divulgado às 10h pelo Ministério da Economia. 

 

FGTS 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na noite de quarta-feira, 24, que a medida provisória do FGTS é correta para o curto prazo, mas que é necessário rediscutir o modelo do FGTS de "forma definitiva". Líderes ouvidos pelo Estadão/Broadcast afirmam que o texto será alterado na Câmara. A MP que irá liberar saques de até R$ 500 a partir de setembro de contas ativas e inativas do FGTS tem força de lei e produz efeitos imediatos, mas pode virar uma medida permanente. 

Com o anúncio do governo do programa “Saque Certo”, para a retirada anual de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a liberação de recursos do PIS/Pasep, a injeção na economia deve ser de R$ 30 bilhões este ano. Pelas contas da equipe econômica, a medida deve garantir um crescimento adicional de 0,35 ponto porcentual no PIB em 12 meses. 

Caged 

Dados de junho do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), que serão divulgados às 10h, devem apresentar, na mediana, criação de 35.000 vagas, de acordo com o Projeções Broadcast. Em maio, houve geração de 32.140 vagas. Se o cenário se concretizar, deve corroborar para as apostas em corte de 0,50 ponto porcentual da Selic pelo Copom na semana que vem, para 6,00% ao ano. 

BCE 

O Banco Central Europeu (BCE) e o Banco Central da Turquia anunciam decisões de política monetária. Na Turquia, o corte da taxa de juros foi agressivo, de 24% para 19,75% ao ano. Nos Estados Unidos, estão previstos dados de encomendas de bens duráveis e da balança comercial de bens, ambos de junho, além dos pedidos semanais de auxílio-desemprego.

Balanços 

O Bradesco apresentou lucro de R$ 6,462 bilhões no segundo trimestre, 25,2% maior que o visto no mesmo período do ano passado, de R$ 5,161 bilhões. Na comparação com os três meses anteriores, quando ficou em R$ 6,238 bilhões, a alta foi de 3,6%. na Ambev, o lucro ajustado foi de R$ 2,712 bilhões no segundo trimestre e ficou 16,1% acima do período anterior. A 3M divulga balanço do segundo trimestre antes da abertura dos mercados em Nova York e Alphabet (Google), Amazon e Intel, depois do fechamento dos negócios. 

Petrobrás 

A Petrobrás assinou dois contratos para venda de ativos de exploração e produção, em águas rasas nas Bacias de Campos e Santos, no valor total de US$ 1,5 bilhão, cerca de R$ 5,7 bilhões. As transações são referentes à venda de 100% da sua participação nos Polos Pampo e Enchova, localizados em águas rasas na Bacia de Campos, para a Trident Energy do Brasil, uma subsidiária da Trident Energy; e venda de 100% da sua participação no campo de Baúna (área de concessão BM-S-40), localizado em águas rasas na Bacia de Santos, para a Karoon Petróleo & Gás Ltda, subsidiária da Karoon Energy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.