Mercado acredita em queda da Selic

A queda das taxas de juros nas operações entre investidores nessa manhã sinalizam um aumento das apostas de que o Comitê de Política Monetária (Copom) vá reduzir a taxa de juros básica - Selic - em sua próxima reunião. O Comitê reúne-se nos dias 19 e 20 de dezembro e a decisão sai um dia depois da reunião do banco central norte-americano - FED. Analistas acreditam que, se a política monetária nos Estados Unidos for revertida, ou seja, passar de uma tendência de alta para tendência de baixa, o Copom deve optar por cortar os juros no Brasil. Além disso, segundo os especialistas, existem outros fatores positivos que contribuem para a redução dos juros, como diminuição das incertezas em relação às perspectivas para a Argentina, queda do preço do petróleo e inflação controlada no Brasil.Outra boa notícia foi divulgada há instantes, o que pode animar ainda mais os mercados nesta tarde. A definição da eleição presidencial dos EUA, segundo as agências internacionais, aconteceria ainda hoje, com a desistência de Al Gore em contestar a contagem de votos. "A definição por Bush, se confirmada, deve animar as bolsas dos EUA, repercutindo bem nos mercados nacionais", disse um operador.Veja como está mercado financeiroA Bolsa de Valores de São Paulo opera em alta de 0,38%. O dólar comercial está cotado a R$ 1,9590 na ponta de venda dos negócios - queda de 0,51% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,320% ao ano, frente a 17,510% ao ano registrados ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.