Mercado aguarda decisão do Copom

O mercado financeiro vive hoje mais um dia de expectativa. No final da tarde o Comitê de Política Monetária (Copom) deve divulgar a nova taxa de juros básica - Selic. A maioria dos operadores consultados pela editora Lucinda Pinto aposta que a taxa deve ficar em 18,5% ao ano, com um viés de baixa, indicando a intenção do Banco Central (BC) de continuar reduzindo os juros.Porém, já existe uma corrente de analistas no mercado, a minoria, que acredita em uma possível redução de 18,50% ao ano para 18% ao ano. Isso porque, desde sexta-feira, os contratos futuros do petróleo vêm registrando queda no mercado internacional. Hoje, o preço do barril abriu em queda no pregão eletrônico da Nymex - que negocia títulos futuros do óleo. Na última cotação do Broadcast - sistema de notícias em tempo real da Agência Estado -, o barril era cotado em US$ 29,65, uma queda de US$ 0,04, em relação ao fechamento de ontem.Mas isso não deve afetar a decisão do Copom que, na opinião da maior parte dos analistas, deve optar pelo conservadorismo. Amanhã a Organização dos Países Exportadores de Petróleo se reúne para definir sobre um possível aumento na produção. Na opinião de Fábio Silveira, da Tendências Consultoria, a expectativa em relação ao resultado da reunião gera uma oscilação dos preços. Por isso, o patamar atual não pode ser usado como uma tendência real para o custo do petróleo.Há pouco, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrava pequena baixa de 0,74%. O dólar estava cotado em R$ 1,80 na ponta de venda, computando uma pequena queda de 0,16% em relação ao fechamento oficial de ontem. Os juros estão em 19,39% ao ano. Ontem títulos com a mesma base de negócios no swap prefixado de 252 dias úteis encerrou o dia em 19,51% ao ano. Cenário Externo O mercado norte-americano começou o dia com o anúncio do Departamento do Comércio dos EUA apontando um déficit - importações maiores que exportações - da balança comercial do país, no mês de abril, em US$ 30,44 bilhões. De acordo com a apuração da editora Patricia Lara, em março, o valor era de US$ 30,61 bilhões.Apesar da diminuição do déficit, o recuo ficou abaixo do esperado. Pesquisa realizada pela Dow Jones Newswires e CNBC junto a 10 economistas mostrou que a estimativa média era que o déficit recuasse para US$ 29 bilhões em abril. O índice Dow Jones - que mede a valorização das empresas mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque - estava em queda de 0,63%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas do setor de tecnologia - computava alta de 1,23%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.