Mercado ainda cauteloso tem leve recuperação

Os mercados seguiram o embalo de ontem e conseguiram apresentar uma leve recuperação hoje, especialmente pela repercussão positiva das declarações de líderes do PT sobre a economia. No entanto, ainda é cedo para o fim dos temores do mercado, mas aparentemente são as indicações do provável novo governo petista que passam a ditar o tom dos negócios a partir de agora.Cresce a percepção de que a vitória de Lula, dada como praticamente certa por quase todos, pode não significar o caos econômico. Nesse sentido, continuou tendo efeito positivo o discurso de assessores econômicos do PT, que ontem afirmaram que o superávit primário será mantido e que o partido fará todo o possível para garantir tranqüilidade ao mercado. Na Bolsa, também contribuiu para o alívio a proposta do PT de fortalecimento do mercado de capitais. Essa melhora de humor, no entanto, não representa o fim das incertezas eleitorais. As oscilações devem continuar. Se por um lado, os investidores já absorveram a vitória de Lula no segundo turno, por outro há uma grande expectativa com a transição política, com a formação do futuro governo e dos nomes que vão integrar a equipe econômica. Nesse sentido, as pesquisas que serão divulgadas no final de semana, Vox Populi e Datafolha, perderam um pouco do apelo do primeiro turno. A avaliação é de que os números não devem trazer mudanças significativas do quadro eleitoral.Para completar, a recuperação na Bolsa foi favorecida pelo anúncio da joint venture no Brasil entre a Portugal Telecom (controladora da Telesp Celular) e a espanhola Telefónica Móviles, que vai resultar na maior operadora de telefonia celular da América do Sul. O acordo ainda depende da aprovação da Anatel, mas as ações da Telesp Celular dispararam. No mercado de câmbio, o dia foi de oscilações, o que deve continuar, por conta, principalmente das notícias em torno da sucessão presidencial e dos vencimentos de dívida pública cambial acumulados neste final de ano. O próximo vencimento é de cerca de US$ 1 bilhão em contratos cambiais, no próximo dia 23.Os contratos de juros oscilam colados no dólar, devido à percepção de que o comportamento do dólar é que definirá o rumo da Selic, a taxa básica referencial de juros da economia, na próxima reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom), nos dias 22 e 23 de outubro. Para o mercado, se o dólar não se mantiver abaixo de R$ 3,90, então pode haver risco de nova alta do juro. É por isso que os contratos de juros futuros, mais do que nunca, seguem o movimento do câmbio.Mercados Às 15h, o dólar comercial era vendido a R$ 3,8600, em baixa de 1,28% em relação às últimas operações de ontem, oscilando entre R$ 3,8550 e R$ 3,9400. Com esse resultado, o dólar acumula uma alta de 66,67% no ano e 15,05% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 24,450% ao ano, frente a 24,800% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 27,000% ao ano, frente a 27,750% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em alta de 0,66% em 8982 pontos e volume de negócios de R$ 373 milhões. Com esse resultado, a Bolsa acumula uma baixa de 33,84% em 2002 e 5,50% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 10 apresentam baixa. O principal destaque são os papéis da Telesp Celular ON (ordinárias, com direito a voto), com alta de 11,55%. Mercados internacionais Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - operava em alta de 0,13% (a 8286,5 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - sobe 0,59% (a 1279,76 pontos). O euro era negociado a US$ 0,9718; uma alta de 0,07%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, estava em alta de 1,84% (448,19 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.