Mercado: alívio com pacote argentino

Deve ocorrer a divulgação, possivelmente nas próximas horas, de um pacote argentino de reestruturação da dívida de curto prazo com bancos internacionais presentes no país. Devem também ser anunciadas medidas de ajuste econômico para fazer frente à crise que a Argentina enfrenta, com recessão há 34 meses e déficit nas contas públicas acima do previsto. Os mercados vão corrigindo as cotações, refletindo a menor tensão.Ainda resta conhecer os detalhes do pacote e de sua implementação, além dos critérios de renegociação da dívida, que podem alterar a credibilidade das medidas. Mas o ambiente é de alívio e os investidores estão voltando aos negócios. Hoje, o dólar comercial para venda fechou em R$ 2,2030, com queda de 1,83%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 20,870% ao ano, frente a 21,450% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,15%.A recuperação da economia norte-americana também colabora para a retomada da confiança. Hoje foram divulgados os números do PIB dos Estados Unidos no primeiro trimestre de 2001. A economia cresceu o dobro do esperado, 2% na taxa anualizada, e em ritmo mais forte do que no último trimestre do ano passado. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 1,10%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em alta de 2,01%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.