Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mercado aposta em alta do juro e 'leve' queda da inflação

Projeção para 2008 indica aumento de 1,5 ponto porcentual na Selic; estimativa reduz inflação para 6,54%

Fábio Graner, Agência Estado, e Reuters

04 de agosto de 2008 | 08h44

O mercado financeiro aposta que o Banco Central vai manter a política de aperto do juro até o fim do ano, para tentar controlar a inflação, mostrou pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 4. A estimativa para a inflação "oficial" do País em 2008 sofreu uma leve redução. Ainda assim, a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) se mantém acima do teto da meta.   Veja também: Inflação pelo IPC-S desacelera em sete capitais Confira a evolução da Selic desde o início do governo Lula Entenda os principais índices de inflação  Entenda a crise dos alimentos  De olho na inflação, preço por preço   No levantamento semanal feito pelo Banco Central, os analistas consultados elevaram para 14,5% a estimativa para a Selic - taxa básica de juros - ao final do ano, ante 14,25% na semana passada, na semana seguinte à divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom). No entanto, as cinco instituições que mais acertam as projeções continuam apostando que a Selic fechará o ano em 14,25%.   Isso indica um aumento de 1,5 ponto percentual para as próximas três reuniões do comitê em 2008. Atualmente, a taxa Selic está em 13%.  Para o final de 2009, o mercado manteve a previsão de que a Selic encerrará o ano em 14%. A projeção para a Selic média em 2008 subiu de 12,56% ao ano para 12,72% e para 2009, de 13,96% para 14%. A estimativa para a inflação "oficial" do País em 2008 teve uma leve queda, passando de 6,58% para 6,54%. Ainda assim, a estimativa para a variação IPCA está acima do teto da meta definida pelo governo, de 6,50%. A estimativa de alta para os preços administrados em 2008 teve ligeira queda, passando de 3,81% para 3,80%. Para 2009, a projeção subiu de 5,04% para 5,09%   Depois de 20 semanas de alta, as medianas das projeções para os índices gerais de preços - IGP-DI e IGP-M - para 2008 também caíram. Para o IGP-DI, a previsão de 12,18% para 12,13%, enquanto para o IGP-M recuou de 12,04% para 12,00%. Para 2009, contudo, o IGP-DI subiu, passando de 5,37% para 5,40%, enquanto que a projeção para o IGP-M ficou estável em 5,50%.   Para o próximo ano, a estimativa para o IPCA foi mantida em 5%. No caso do juro, a projeção também não foi alterada. Os analistas acreditam que a Selic estará em 14% em dezembro do próximo ano. A meta de inflação fixada para 2008 e 2009 é de 4,5%, com margem de variação de 2 pontos percentuais, para cima ou para baixo.   O mercado também espera um IPC-Fipe menor neste ano. A mediana das expectativas passou de 6,69% para 6,53%. Para 2009, no entanto, o movimento foi inverso, com a projeção subindo de 4,55% para 4,61%.   Câmbio   A pesquisa Focus mostrou ainda uma queda na mediana das expectativas do mercado para a taxa de câmbio no fim de 2008, que passou de R$ 1,63 para R$ 1,61. A projeção para o dólar no final de 2009 recuou de R$ 1,75 para R$ 1,72. Para a taxa de câmbio média de 2008, a mediana das previsões caiu de R$ 1,66 para R$ 1,65, enquanto para 2009 ficou estável em R$ 1,70. (Renato Andrade, da Reuters; edição de Vanessa Stelzer)   Texto ampliado às 10h08

Tudo o que sabemos sobre:
Mercadofocustaxa Selicinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.