finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mercado: Argentina calma mas dólar dispara

A possibilidade de corrida aos bancos e casas de câmbio na Argentina, que preocupou os mercados ontem, não se concretizou. O pacote de reativação da economia anunciado em Buenos Aires no final de semana, que os mercados brasileiros interpretaram como a sinalização de fim do regime de paridade do peso com o dólar, foi bem visto pela opinião pública local, a qual atentou para as outras medidas fiscais. Como ontem foi feriado nacional na Argentina, a apreensão dos mercados brasileiros em relação à reação do público era grande. Mas os cidadãos confiaram nas palavras do ministro da Economia, Domingo Cavallo, que garantiu a permanência do atual regime cambial.Mesmo assim, no Brasil, o dólar disparou e os demais mercados resistiram a rever o pessimismo de ontem. O dólar comercial para venda bateu mais um recorde, atingindo a cotação máxima de R$ 2,4810. No fechamento, recuou ligeiramente, ficando em R$ 2,4790, alta de 1,10%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e os juros apresentaram uma tímida recuperação. O pessimismo reflete as preocupações quanto à retomada econômica da Argentina, que parece cada vez mais distante. E se ela não ocorrer rapidamente e com vigor, o governo terá dificuldades em honrar suas obrigações externas.Em função dos temores pelo cenário externo e da crise energética, espera-se uma elevação dos juros. Hoje teve início a reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom), que deve decidir amanhã, segundo previsões de analistas, por um aumento de meio ponto porcentual da Selic, a taxa básica referencial da economia, atualmente em 16,75% ao ano. O anúncio deverá ser feito amanhã no início da noite.Fechamento dos mercadosO dólar comercial para venda fechou em R$ 2,4790, com alta de 1,10%. A Bovespa fechou em alta de 0,31%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia praticamente estáveis pagando juros de 22,950% ao ano, frente a 23,000% ao ano ontem. O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou em queda de 4,60%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 0,46%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em alta de 0,20%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.