Mercado atento ao cenário externo

Os investidores continuam atentos ao mercado de Nova York. Hoje as empresas Yahoo! e Motorola devem divulgar seus resultados trimestrais após o encerramento dos negócios. A Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - opera em baixa de 2,55% e o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York - recua 0,55%.No mercado interno, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em queda de 0,13%. O volume de negócios continua baixo - R$ 138 milhões. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 16,960% ao ano, frente a 16,980% ao ano registrados ontem. O dólar comercial está cotado a R$ 1,8560 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,11% em relação às últimas operações de ontem. Petróleo continua em altaAs tensões no Oriente Médio continuam e o petróleo segue em alta. Os negócios com o produto bruto do tipo Brent para entrega em novembro estão em alta de 0,76% em Londres, a US$ 31,52 por barril. Esse fato, aliado à situação da Argentina e às baixas sucessivas da Nasdaq - diminuem as chances de um corte na taxa básica de juros - Selic.As reduções dos juros foram interrompidas na reunião de 19 julho, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa anual de 17% para 16,5%. Inicialmente era a inflação interna que assustava. Nos últimos encontros, no entanto, a cautela foi provocada pela instabilidade internacional. Se de um lado as taxas que medem o comportamento do custo de vida no Brasil surpreendem positivamente, de outro, a instabilidade externa ameaça esse equilíbrio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.