Mercado atento às notícias da Argentina

A situação política da Argentina deu o rumo para os negócios no Brasil no final dessa amanhã. Fernando de Santibañes, amigo pessoal do presidente De la Rúa, renunciou ao cargo de Secretario da Inteligência do Estado (SIDE). De acordo com apuração do edito Vladimir Goitia, Santibanês era acusado de ser o responsável pelos subornos a senadores para aprovação da reforma trabalhista e a sua renúncia pode melhorar o quadro político do país.Com isso, a Bolsa de Buenos Aires e os títulos da dívida pública argentina voltaram a cair e com eles, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e os títulos da dívida externa brasileira - C-Bonds - também perderam valor. O Brasil é atingido pela crise na Argentina devido às fortes e amplas relações comerciais entre os dois países. Além disso, são ambos países com economias emergentes e importantes referências dentro da América Latina.O preço do petróleo está com uma pequena alta. Os negócios com o produto bruto do tipo Brent para entrega em dezembro estão em alta de 0,21% em Londres, a US$ 30,95 por barril. Nos Estados Unidos, as bolsas estão em alta. A Nasdaq - bolsa norte-americana que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - opera com valorizaçào de 2,51 e o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações mais negociadas em Nova York - registra ganho de 0,44%.Veja como está o mercadoA Bovespa operava, há pouco, em baixa de 0,99%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,410% ao ano, frente a 17,280% ao ano ontem. O dólar está cotado a R$ 1,8820 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,27% em relação aos últimos negócios de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.